fbpx

Estudo mostra desconexão entre executivos C-Level e profissionais de finanças sobre o nível de confiança nos dados financeiros

COMO OBTER CONFORMIDADE SUSTENTÁVEL DE FORMA EFICAZ
9 de novembro de 2020

Estudo mostra desconexão entre executivos C-Level e profissionais de finanças sobre o nível de confiança nos dados financeiros

Na sua empresa, a equipe de finanças e o board falam a mesma língua? Entendem e concordam sobre as reais necessidades do negócio? Compartilham os mesmos anseios? Compreendem as mesmas dificuldades?

O estudo “Mistrust in the numbers”, liderado pela Blackilne, detectou um enorme desalinhamento entre executivos C-Level e profissionais de finanças sobre o nível de confiança nos dados financeiros! Um sinal de alerta que não deve ser ignorado.

Enquanto 71% dos executivos C-Level afirmam confiar completamente na precisão de seus dados financeiros, apenas 38% dos profissionais de finanças disseram o mesmo. Apenas 8% dos entrevistados C-Level disseram que não têm acesso a números precisos regularmente, enquanto mais do dobro (20%) de profissionais de finanças admitiram que esse era o caso.

Mas a questão é: quem é responsável pelo fechamento? Pela prestação de contas? Por gerar os números apresentados aos investidores e ao mercado? Não são os profissionais de finanças? Suas equipes financeiras e de contabilidade?

Essa desconexão pode ser explicada pelo fato de que apesar da evolução tecnológica dos últimos anos, muitas organizações continuam a ser desafiadas por erros humanos, fontes de dados e volume de dados cada vez maiores e tecnologia desatualizada. Contar com novas tecnologias que permitam uma maior integração dos dados financeiros e agregue confiabilidade aos números é o principal caminho para um maior alinhamento. Decisões são baseadas em dados e se os seus dados estão errados, fatalmente suas decisões serão equivocadas.

Aos CEOS e CFOs uma lição importante é que liderança tem a ver com estar junto de suas equipes, entendendo as dificuldades do dia a dia e ajudando-as a superá-las, seja com instrumental tecnológico, seja com capacitação ou simplesmente inspirando-as. Uma liderança menos top down e mais participativa.

Confira a pesquisa completa!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *